Bahia, 28 de Novembro de 2020
NOVA GESTÃO EM EUNÁPOLIS

Editorial: o espírito da vingança não deve prevalecer no futuro governo de Eunápolis, a população espera por projetos inovadores
As milícias das redes sociais, em Eunápolis, encabeçadas pelos apoiadores da prefeita eleita Cordélia Torres, ainda estão no apego oposicionista, e defendem a caça às bruxas, perseguições.
Por: A Gazeta Bahia
22/11/2020 - 10:38:34

As milícias das redes sociais, em Eunápolis, encabeçadas pelos apoiadores da prefeita eleita Cordélia Torres, ainda estão no apego oposicionista, e defendem a caça às bruxas, perseguições e o extermínio total do grupo roberista, como se essas ações fossem projetar o futuro governo, criando expectativas de melhorias para a população.

Nesta sexte-feira, 20, um dos apoiadores da prefeita, estampou nas redes sociais, veículos abandonados nos pátios da Prefeitura, afirmando que o "gestor vai parar a cadeia e jamais será candidato em Eunápolis".  Foi adiante, garantindo que Dapé "vai pisar no pescoço do atual gestor".
Ora, senhores, todo governo que caminhou por esse trajeto da vingança, mesmo nos mais remotos países, onde as mudanças aconteceram, os atos insanos e violentos destruíram as sociedades, dando lugar ao caos profundo.

O povo de Eunápolis, não espera da nova prefeita, atitudes de vingança, de ódio e de perseguições a servidores, aos adversários de campanha, às pessoas que formaram filas em apoio ao prefeito Robério Oliveira. Observamos no quadro de parceiros da nova prefeita, pessoas se vestindo de vingadores, espalhando o medo, e de certa forma, ignorando a liberdade individual e a livre escolha dos eleitores.
O melhor nesse momento delicado que passa as nações, os estados e os municípios, é que a nova e futura gestora, tenha cautela, pise no freio, esqueça os rancores e a vingança. O município de Eunápolis, precisa crescer e se projetar na geração de empregos, na cultura, na agricultura, na educação e outros segmentos.  

Com a criação da Comissão de Transmissão de Governo, nesta sexta-feira, 20, as equipes terão a oportunidade de trocarem informações e conhecimentos sobre as organizações  públicas do município, que não são nem de Cordélia e nem de Robério. São do povo. E o povo quer respeito. 

Veja + Notícias/Geral